Movimento DESOCUPA

O Movimento DESOCUPA nasceu em janeiro de 2012, a partir da crescente insatisfação do povo de Salvador com os desmandos e desvarios da administração municipal, sobretudo no que diz respeito à venda da cidade aos interesses privados. O DESOCUPA não possui vinculação partidária nem apoios financeiros de nenhuma espécie. Sua força emerge diretamente da ação direta dos cidadãos soteropolitanos que se cansaram de sentir vergonha da cidade que amam. Já que o Movimento surgiu justamente por conta da falência da grande fraude que é a democracia representativa em nosso país, não quisemos reproduzir no DESOCUPA a mesma lógica obtusa de relações de poder inerentes a este sistema. Por isso, no Movimento DESOCUPA não há líderes, nem representantes, apenas participantes.

O Movimento surge a partir da ocupação da Praça de Ondina pelo luxuoso Camarote Salvador, com o aval do poder público ante pagamento de R$250 mil por ano (uma esmola diante do faturamento de cerca de R$66 milhões previstos) e uma reforma na Praça. Pouco tempo depois de ter finalizado a reforma, a empresa fechou a Praça com tapumes para a “obra do Camarote Salvador”, quase três meses antes do carnaval.

O intenso debate sobre o assunto nas redes sociais levou à convocação de uma manifestação pública de repúdio à privatização dos espaços públicos pela Prefeitura de Salvador. O Camarote acabou se tornando um símbolo da privatização dos espaços públicos da cidade e da sistemática promoção da segregação social. O protesto, que foi chamado de “DESOCUPA Salvador!”, foi proibido pela Justiça, a partir de uma ação movida pela Premium Produções Criações Artísticas e Eventos Ltda, que via na manifestação risco de depredação de seu patrimônio e preocupação com a integridade física (!) de seus funcionários. A jornalista Nadja Vladi foi apontada como líder do movimento sem nunca tê-lo proclamado e ainda está sendo processada por conta do episódio.

A despeito da censura decretada pela Justiça, que parece esquecer-se de que vivemos num estado democrático onde a liberdade de expressão é garantida na Constituição, ninguém se intimidou. No dia 14 de janeiro, mais de 500 pessoas foram à frente do Camarote gritar “Desocupa, a praça é do povo!”, apesar da forte chuva e de a manifestação ter sido oficialmente PROIBIDA.

Apenas três dias depois, a população de Salvador recebe em estado de choque a notícia de que o desprefeito, o Sr. João Henrique Barradas Carneiro, que estava nos Estados Unidos, havia aterrissado em Salvador e em poucas horas, sancionado as alterações criminosas que foram feitas à LOUOS (Lei de Ocupação, Uso e Ordenamento do Solo) na Câmara Municipal por uma lamentável maioria de vereadores vendidos ao interesse privado (veja a lista completa dos traidores do povo e seus partidos AQUI). O desprefeito ignorou e desrespeitou o Ministério Público, que ameaçou acioná-lo criminalmente caso ele sancionasse a LOUOS, na medida em que as alterações que foram feitas à lei não passaram de manobras destes vereadores subservientes aos interesses do capital privado para viabilizar a qualquer custo emendas polêmicas do PDDU da Copa, que teve sua tramitação barrada pela Justiça por conta do desrespeito sistemático aos mecanismos de participação previstos para uma legislação desta natureza.

“A LOUOS foi questionada judicialmente porque o texto aprovado pela Câmara de Vereadores contém emendas que alteram artigos do PDDU, o que não é legal, segundo o Ministério Público. Ainda segundo o órgão, a mudança só poderia ser feita diretamente no texto do PDDU e mediante a realização de audiências públicas e com aprovação no Conselho da Cidade, que, embora esteja previsto na lei, nunca foi posto em prática pela prefeitura.

Entre as emendas aprovadas, está a que reduz os poderes e representatividade do Conselho da Cidade e do Conselho Municipal do Meio Ambiente. Está sancionada também a ampliação do gabarito da orla marítima, permitindo a construção de prédios de até 27 pavimentos (54 metros) e permitindo que os edifícios exerçam sombreamento nas praias antes das 10 horas e a partir das 14 horas. Também virou lei a extinção do Parque Ecológico do Vale Encantado, área de reserva de mata atlântica, com um milhão de metros quadrados, localizada entre a Avenida Paralela e a orla; e a criação de nove perímetros destinados à construção de hotéis – do Lobato, no subúrbio ferroviário, a Itapuã.” (Jornal A Tarde)

Depois de ter sancionado a lei sem dar nenhum tipo de explicação à sociedade, o desprefeito fugiu para a Europa. Por certo, contava com a nossa passividade, mas a população de Salvador resolveu dar-lhe um troco. O evento “DESOCUPA A PREFEITURA, João“, convocado no início da manhã seguinte, explodiu nas redes sociais e mais de 4.000 soteropolitanos demonstraram apoio à iniciativa. Rapidamente, começaram a aparecer dezenas de cartazes produzidos espontaneamente e sem nenhum tipo de liderança. Estava provado que as alterações criminosas que foram feitas à LOUOS foram a gota d’água: a indignação dos cidadãos soteropolitanos transbordou.

Dois dias depois da fuga do desprefeito para a Espanha, mais de 1.000 pessoas (segundo cálculos da Polícia Militar divulgados pelo Jornal A TARDE) foram à Praça Municipal mostrar sua indignação em relação ao caos da administração pública municipal, cuja fragilidade política, moral e institucional configuram o ambiente perfeito para a atuação predatória do capital privado, sobretudo dos setores imobiliários, e mais recentemente, também da Indústria do Carnaval, chegando ao ponto em que a Prefeitura se sente dona do espaço que é do Povo e revolve alugá-lo para o Camarote sem qualquer tipo de consulta. Participação popular, aliás, nunca foi o forte desta gestão, apesar do slogan cínico ‘Prefeitura de Participação Popular’ do primeiro mandato.

Esta segunda manifestação, que ocorreu numa tarde ensolarada da Velha Bahia, foi uma verdadeira declaração de amor à cidade de Salvador (veja fotos da manifestação AQUI). Estiveram presentes pessoas de todas as classes sociais, jovens, adultos, idosos e até mesmo crianças. Subimos a escadaria da Prefeitura para lembrar à corja que lá está confortavelmente instalada que o Poder Público Municipal deve representar os NOSSOS interesses e não os das empresas. Durante a manifestação, também não faltaram declarações de indignação e de amor à cidade durante as cinco horas de duração do protesto (algumas destas declarações podem ser assistidas AQUI).

A vitoriosa manifestação do dia 20.01.2012 foi uma demonstração de força da chamada Primavera Baiana, e a partir daí o Movimento DESOCUPA seguiu em frente, conquistando apoios e aumentando a pressão sobre o desprefeito, a câmara de vereadores e o governador do estado, que faz silêncio absoluto sobre o tema. No dia 01.02.2012, foi realizada uma enorme passeata com mais de 2.000 pessoas nas ruas exigindo a REVOGAÇÃO DAS ALTERAÇÕES CRIMINOSAS QUE FORAM FEITAS À LOUOS, entre outras pautas dos diversos movimentos sociais envolvidos no Movimento DESOCUPA.

Em paralelo, o DESOCUPA passou a atuar em novas frentes, promovendo diversos debates sobre a gestão da cidade. Este projeto foi chamado de A CIDADE QUE QUEREMOS e lotou o Teatro Vila Velha e todas as suas edições. Além disso, nos articulamos com órgãos de fiscalização e controle, como a Defensoria Pública e o Ministério Público para oferecer denúncias contra os abusos da administração municipal e os crimes ambientais se tornaram rotina na cidade.

Em pleno Carnaval, o Movimento DESOCUPA voltou às ruas (clique aqui para ver fotos da PIPOCA INDIGNADA), chamando atenção para o modelo excludente da festa e para a decadência da cidade.

Depois de um período farto de manifestações públicas, eventos, ações judiciais e intensos debates sobre a gestão municipal em Salvador, o Movimento DESOCUPA iniciou recentemente um processo de troca com movimentos sociais de bairros periféricos da cidade, em geral completamente desassistidos pelo estado. Nessa trilha o Movimento DESOCUPA pretende deslocar o Fórum A CIDADE QUE QUEREMOS, até então realizado no Teatro Vila Velha, para bairros como Alagados, Plataforma e Cajazeiras. Entre os problemas enfrentados por moradores de bairros periféricos, estão o sistema habitacional precário, a ausência de espaços públicos, a carência de saneamento básico e projetos de infraestrutura urbana, a precariedade do sistema de transportes, entre muitos outros.

Além disso, estamos assistindo à construção indiscriminada de empreendimentos imobiliários que, pouco a pouco, retiram árvores de áreas de proteção ambiental e promovem brutais processos de desapropriação em nome de lucros vultuosos. A inexistência de uma gestão participativa e democrática tem imposto um enorme isolamento aos diversos movimentos sociais que atuam em defesa da cidade, assunto já entrou em pauta no projeto A CIDADE QUE QUEREMOS. Na aproximação com a periferia que está em curso, o Movimento DESOCUPA procura enfrentar a suposta inviabilidade de intercâmbios e trocas entre diferentes realidades sociais, para quebrar as barreiras que separam os interesses e modus operandi dos movimentos sociais do centro e das periferias da cidade.

Atualmente, com o amadurecimento das discussões, o DESOCUPA se articula no sentido de promover o permanente exercício da cidadania e do controle social, na medida em que entendemos que a participação cidadã é imprescindível para a construção de uma cidade mais justa.  A ideia é que o DESOCUPA acompanhe de perto a gestão da cidade, não apenas no sentido de fiscalizar mas de dialogar e assim lutar para reestabelecer a contrapartida da democracia: a participação popular. O Movimento DESOCUPA conta hoje com nove grupos de trabalhos e realiza semanalmente uma reunião de articulação, sempre aos sábados pela manhã, no Teatro Vila Velha.

Desprefeito, vereadores e governador Jacques Wagner: prestem atenção à nossa voz. A indiferença de vocês só fará com que nossa indignação cresça de forma exponencial. Lembrem-se de que este é um ano eleitoral e nós faremos de tudo para impedir que os traidores do povo de Salvador retornem ao poder.

Saiba mais sobre os objetivos e pautas concretas do Movimento DESOCUPA – CLIQUE AQUI.

Veja a lista de movimentos sociais, grupos artísticos, grupos de pesquisa e instituições que declaram publicamente fazer parte do Movimento DESOCUPA - CLIQUE AQUI.

Sugerimos a todos a leitura da nota publica veiculada pelo Movimento Vozes de Salvador - CLIQUE AQUI.

34 respostas em “Movimento DESOCUPA

  1. Sinceramente,

    Vocês por acaso sabem quanto se gastou numa reforma dessas? Se informem, e outra antes quando a praça estava acabada e sendo morada de marginais e dependentes quimicos todo mundo pouco se importava, agora quando a praça está limpa e devidamente organizada vêm com essa palhaçada. Os governantes tbm nada fizeram e agora querem pousar de justiçeiros.

    Mas infelizmente vocês continuaram com essa palhaçada utópica e acreditam que vão retirar os direitos do Camarote Salvador, sendo que por incrivel que pareça só beneficiou. E outra observação nesse curto espaço de tempo que a praça foi inaugurada e aberta para publico destruiram alambrados, banheiros e outras coisas mais.

    PORQUE AO INVES DE QUERER QUE O CAMAROTE DESOCUPE VOCÊS NÃO PEDEM A POLICIA PRA OCUPAR E GARANTIR QUE A PRAÇA NÃO SEJA DEGRADADA DEPOIS QUE O CARNAVAL PASSAR?

    • Cara Bruna,

      Não tenho a menor dúvida que o gasto com a reforma é muito inferior ao lucro que os empresários terão se vingar este contrato de 5 anos. Gente assim não dá ponto sem nó. Só no ano passado, quando a área era menor, o lucro estimado e divulgado na imprensa foi de R$14.000.000. O que está em discussão é que estão lucrando com uma parte da cidade que é nossa. É sua e é minha. Se da sua parte você está de acordo, eu da minha eu não estou. E o direito cidadão que tenho de me manifestar sobre algo que é meu, me é garantido pela constituição federal, como deve ser em qualquer democracia que se preze.
      Se era lugar de moradores de rua a praça, ela também é deles, pois é espaço público. Pelo menos eles não estavam privatizando o espaço e impedindo a ocupação de outras pessoas do lugar com tapumes e seguranças. Aliás, a praça poderia não estar nas melhores condições, mas contava com quadras poliesportivas, lanchonete, banca de revistas e acesso amplo à praia, e muitas vezes vi famílias e crianças usando o local. Não compartilho da sua visão sobre aquele espaço.
      E ademais, não é a assepsia do espaço público que me interessa. Não estou defendendo a precariedade, mas a mim vale mais uma praça suja e livre do que uma limpa e fechada a maior parte do ano (como aconteceu em 2011), pra que gente que nem é daqui, que não paga o IPTU que pagamos, venha usufruir enquanto nós somos privados. Não sei se você é cliente do Camarote, mas eu não sou palhaço pra pagar mais de 4 mil reais pra utilizar um espaço que já é meu de direito.
      Sendo assim, qual o grande benefício? O zelo pelo espaço público é uma obrigação da administração municipal, que temos que exigir, pois somos nós que pagamos os impostos para que eles executem suas ações sobre a cidade. Que fim de mundo é esse, que temos que nos vender BARATO pra que nossos espaços públicos sejam reformados? Já não basta a carga altíssima de impostos que pagamos?
      E sobre a polícia ocupar a praça, se quer assepsia e controle, sinta-se à vontade para frequentar os inúmeros shoppings de Salvador. Lá tem de sobra. O espaço público é o lugar da livre manifestação da cidadania, os conflitos são inerentes e o controle não é mais do que uma forma de domesticar nosso papel político na cidade. Se prefere playground ou shopping, infelizmente estamos cheios dessas opções na cidade. Mas não tente impor a sua lógica higienista a toda a cidade.
      E por fim, veremos a “palhaçada utópica” daqui a uns meses. Enquanto você se contenta em observar do conforto da sua casa a destruição de Salvador, domesticando sua cidadania como é do interesse dos políticos e empresários que hoje mandam nessa cidade, milhares de pessoas, instituições, movimentos e entidades representativas estão se mobilizando e fazendo pressão por seus direitos. Ponha os pés no chão e a mão na consciência, como está sendo dito por aí. É mais do que tarde pra isso.

      • Bruna,

        Espero que a esta altura, depois de tantos comentários, você já tenha se dado por satisfeita. Mas mesmo assim, eu gostaria de reforçar alguns pontos.

        Para mim, a palhaçada utópica é justamente transformar a nossa cidade no quintal do desprefeito e seus desmandos (sempre com a ressalva que ele é apenas o joão bobo que mostra as caras, sem sermos ingênuos achando que ele articula tudo sozinho).
        Pra mim, a palhaçada utópica é um prefeito sancionar uma lei que fere uma determinação judicial.

        Quer ver outra palhaça utópica? A extinção de uma unidade de conservação sem fundamento, sem cumprimento da lei do Snuc (Sistema Nacional de Unidades de Conservação).

        Tenho outra palhaçada pra você: Você lembra da máfia do Transcon? Pois é, você sabe que o Transcon vai voltar agora para a orla de Salvador? Você sabe que isso, além de permitir uma série de barbaridades com relação ao descontrole da altura dos edifícios na orla, ainda por cima causa uma perda enorme de receita fiscal para o município?

        Então, se me dissessem todos esses impropérios, talvez eu pensasse: Puta que pariu! Quem esse prefeito acha que é? Isso é uma grande palhaça, uma DISTOPIA no mesmo nível de grandes obras como 1984, de George Orwell.

        É preciso MUITA IMPUNIDADE pra chegarmos onde chegamos. E o desprefeito, esse sim, deve ver a aprovação de todas essas indecências como uma grande utopia. Talvez nem acreditasse que conseguisse isso tudo. O novo coronel do pedaço, deve pensar ele. O primeiro Sheik do nosso continente.

        Não acho a nossa revolta uma distopia não. Estamos cobrando apenas que os nossos representantes nos representem, e não a um grupinho seleto. Talvez você esteja confundindo as coisas. Talvez o que você quisesse dizer é que nós estamos exigindo apenas a nossa cidade de volta.

      • Sra. Promotora Rita Tourinho,

        Olá Pessoal do Movimento. Concordo com a luta por respeito à nossa cidadania, por isso encaminhei o e-mail abaixo para a tal promotora, no sentido de colaborar com a ação.
        E-mail encaminhado:
        Em consonância com o movimento DESOCUPA, estamos indignados com a forma desigual em que se julga a ocupação do espaço territorial na cidade de Salvador.

        A indignação cívica refere-se à ocupação da praça de Ondina pelo camarote e a conseqüente proibição de acesso a um espaço genuinamente publico, ferindo inclusive o direito de ir e vir constitucionalmente assegurado. Como entender estar o Ministério Público refém dessas atrocidades? um verdadeiro espetáculo repugnante.

        Exigimos que o Ministério Público cumpra o seu papel e não desvirtue a sua conduta.

        Conceição.

  2. Apoio o movimento e já havia passado do tempo da população “ocupar” a cidade. Só uma sugestão: Poderiam informar também o nome dos deputados baianos que em Brasília defenderam a lei de flexibilização para as obras da copa!

    • Qualquer que seja o novo prefeito, será pressionado a contemplar, em seu programa de governo, a pauta de reivindicações do Movimento Desocupa. O povo de Salvador vai mostrar que para subir as escadas da prefeitura, o novo prefeito terá que ouvir a nossa voz. Estamos e estaremos mais de olho do que nunca!

    • Você tem toda razão, Any! Na verdade, não foi uma escolha nossa, essa era a opção básica do wordpress e só descobrimos isso quando começaram a pipocar pedidos para “moderar” comentários. Então pesquisamos um pouquinho e descobrimos como cancelar a moderação… já está feito!

  3. Abaixo pequeno histórico da pífia gestão de JH, que não para de entregar nossa cidade aos amigo$$ :

    - Nunca entregou o Metrô – o menor e mais caro do planeta ! só faz aumentar o rombo nas obras superfaturadas ( mais de 1 Bilhão de reais );

    -Anistiou todas dívidas do Aeroclube ( mais de 50 milhões de reais ) e o grupo Iguatemi que administra este shoppig nunca construiu o parque público ( cuja emenda nº 2 da Louos libera o terreno público para hotéis na área que era do povo );

    – deu alvarás para mais de 50 megamonstrengos nas praias da Orla – resultado – a Justiça mandou derrubar todas outras barracas por causa desta parceria financeira com a Skincariol que liberou a construiu cozinhas industriais e banheiros na areia da praia , que lhe custou 1 Ação criminal pelo MPF por crime ambiental ;

    - liberou através da SMA mais de 800 licenças ambientais ilegais sem que este órgão tivesse Código ambiental ( foram licenças para devastar todas árvores da Paralela, do Horto Florestal , das matas do Cabula , do Acupe de Brotas sem nenhum critério técnico ou normativo);

    - deu alvarás a torto e a direito para construções em cima de lagoas , de rios , de áreas protegidas e até tombadas ( sem nenhum estudo de EIV – impacto de vizinhança – no artigo da nova Louos – só precisará EIV prédios com mais de 1500 apartamentos -ou seja , NENHUM ! ) e tome-lhe engarrafamentos e impermeabilização do solo – e depois, com as chuvas e alagamentos , os decretos de emergência para comprar sem licitações !

    - deu permissão para que toda Ilha dos Frades fosse devastada para que grupo de amigos construisse hoteís de 8 andares , e piers, e muros , e barragens );

    - deixou que a Sucom liberasse obras sem cobrar Outorga Onerosa ( dinheiro para cofres municipais ) na Orla ( perda de receitas avaliadas em mais de 1,25 Bilhão de reais , até 2010 ) tudo para que amigos usassem a famigerada Transcon ( numa panelinha conhecida como Máfia das transcons );

    - agora extinguiu o Parque do Vale Encantado que ele mesmo havia prometido criar para se reeleger , enganando os moradores de Patamares ;

    - liberou mais 50% da altura louca dos espigões na Orla tombada , que já havia liberado no PDDU anterior ( passa de 20 para 30 andares ) e acaba de vez com a praia dos pobres ( vai ser um paredão de sombras nas praias de Salvador , e um abafão nos bairros );

    - mudou o slogan de Governo de Participação Popular para governo de um Novo Tempo ( bom só para as construtoras ! )- retirou todos poderes dos Conselhos da Cidade e de Meio Ambiente ( agora são meros grupos para tomarem chazinhos ! ) – não tem poderes de controle social – virou governo autocrático e ditatorial !

    - não levou em conta nenhuma das sugestões ou reclamações das falsas audiências públicas realizadas do PDDU de 2007 ; e agora , em 2011 nem realizou audiências para enviar os projetos de lei ( repletas de imoralidades e ilegalidades ) nas vésperas do Natal – e pediu para que sua tropa de vereadores votasse sem ler os artigos , nem as fraudulentas emendas ) – e , mesmo alertado pelo MP/BA das inconstitucionalidades e da fraude já descoberta , sancionou todas leis prejudiciais a toda população de bem desta capital !

  4. Vemos a cada dia esta corrente crescer e se fortalecer! Agora a esperança de salvar Salvador se revigora! Vamos que vamos reverter este quadro de degradação e privatização da nossa terra amada! DERRUBAR ESTA LOUOS É PRIORIDADE, assim como não permitir os abusos no PDDU da Copa!

  5. Na minha opinião a eleição e posterior reeleição de João Henrique está servindo para uma única coisa ABRIR OS OLHOS DO POVO SOTEROPOLITANO para os caminhos que nossa capital baiana está indo.
    Vejam que há MUITO TEMPO salvador vem sendo maltratado por todos os politicos que a geriram, ou pela maioria deles. Salvador é uma das capitais mais lindas, de um povo alegre e feliz.
    Mas dia a após dia, torna-se uma das capitais mais caras de se viver, mais violenta, mais suja, mas congestionada, etc. etc.
    Ora, chegou o momento de ACORDAR, não é utopia, é totalmente possível acordar. As eleições para Prefeito estão próximas, é preciso eleger um bom gestor, é preciso projetos de melhoria sobretudo na segurança.
    Salvador se destroí a cada dia…
    NÃO PODEMOS DEIXAR SALVADOR NA MÃO DESSA GENTE!
    O movimento desocupa João está pegando todo mundo de surpresa…é preciso uma boa estratégia, e não ficar apenas no discurso. Acredito que se bem articulado, tem tudo pra dar certo!!

  6. Será que não seria mais eficiente mandar o povo estudar, para aprender a escolher seus representantes. Como João Henrique foi escolhido pela maioria, creio que a maioria não apoia esse movimento, logo ele é inócuo.
    O povo tem o dirigente que merece.
    Você colocaram ele lá, agora aguenta!!!!!!

    • Prezado Adauto,

      Seria ótimo se os discursos que os políticos fazem no período eleitoral fossem 100% coerentes com os seus atos durante os seus mandatos. Mas, infelizmente, isso está MUITO LONGE de ser verdade. O que está implícito no seu argumento é que nós temos que calar a nossa boca diante de qualquer ato da gestão dos políticos, porque eles são os representantes do povo. Mas nós podemos questionar isso SIM.

      O que estou querendo dizer é: se o político desanda, não cumpre o que prometeu, nós temos SIM que ir às ruas. A questão da crise da representatividade é exatamente essa: independentemente de eu ter votado ou não em João Henrique ou qualquer um daqueles vereadores que aprovaram a LOUOS, eu tenho todo o direito de gritar, me manifestar dizendo “EM MEU NOME NÃO! (como diria Denise Stoklos) BASTA!”. E por isso, temos que continuar indo às ruas e continuar nos articulando para fazermos os interesses da cidade voltarem a ser pensados para os seus cidadãos.

  7. acho muito pertinente esse movimento e fico muito satisfeita em ver essa mobilização.

    como parte dessa rede, minha vontade é brigar não só contra a lei que libera a construção de predios na orla. Mas contra o descaso que se encontra Salvador. Contra a falta de infra-estrutura no transporte, e uma obra de metro que já dura mais de 11 anos. contra a falta de segurança, contra os buracos nas ruas e o favorecimento de grandes corporações. contra a destruição do patrimonio arquitetonico e a ocupação do espaço publico. contra a falta de espaços de lazer e entretenimento públicos. contra o crescimento urbano desordenado e caotico.

    só me deixa triste ver quanta gente se mostra descrente do seu proprio poder de articulação.
    um dos principios da rede é que cada novo ‘nodo’ que é agregado, agrega uma rede inteira.
    não temos o poder economico ou bélico que tomam conta da sociedade, mas temos o poder da articulação. o pensamento social se forma a partir do discurso que é proferido e replicado. ou alguem acha que a bahia foi sempre a terra da alegria e o brasil foi sempre o pais do futebol?? a realidade passa primeiro pelo discurso e pela crença que se deposita nele. é obvio que não dá para pensar em melhoras enquanto não acreditarmos que é possivel. e é mais obvio ainda que a midia não vai ficar proferindo esse discurso por ai. e todos aqui conhecem bem o poder de manipulação da midia. mas temos uma ferramenta importante nas mãos que é a internet , então vamos aproveita-la.

    use a rede a seu favor!

    MOBILIZE JÁ!!!

  8. Pessoal
    Já passou do tempo do povo se mobilizar. Quando vejo (não assisto) a determinados programas de tv aqui em SSa só falando de carnaval, festa nos bairros, bandas disso e banda daquilo, até parece que estamos no paraíso e que nossas saúde e educação são de excelente qualidade e que todos estão usufruindo da riqueza que a nação produz. O povo precisa gritar e deixar claro para esses aproveitadores de meia tigela que eles não terão paz se não cumprirem com suas obrigações. Não conhecia o movimento, mas já estou dentro. A força está com o povo. Precisamos deixar claro isso. Parabéns aos articuladores do movimento.

  9. Boa noite pessoal!!!
    Acho muito interessante esse movimento, más tem coisas muito mais importante acontecendo e que vai afetar toda a população de salvador, tenho um irmão que trabalha no SAC, ele é terceirizado e ganha pouco mais do salário mínimo para prestar um bom atendimento do setor de Identidade SSP, na função que compreende: Digitador, Identificador, Fotogrado e Perito, quanto a carga horária sempre foi 6:00hs por dia, essa semana todos os servidores SAC, foram surpreendidos que apartir do mês de março, a jornada de trabalho passará para 09:00hs por dia, não vai receber aumento salarial “pelo contrário” vai ser rebaixado. Em consequência já tem muita gente pedindo demissão, haja vista que a maioria tem que conciliar com a faculdade ou outro emprego para complementar sua renda.
    O que vai mudar para o cidadão que procurar o SAC, não vai mais encontrar aquele bom atendimento, pois o servidor mal remunerado e passar 09:00hs dentro do local de trabalho é desumando, e acabvará repassando toda essa insatisfação para o cliente. Concorda!!!
    O governo do estado está indo em contra-mão ao governo Dilma que acaba de reajustar o salário mínimo….
    Vamos mandar a nova direção do SAC para o desocupa já…abraços

  10. Em país livre e democrático todos têm direito de manifestar as nossas opinões. Quantas pessoas residem em Salvador? Três milhôes? Pois bem, por pior que seja um gestor é é impigido a fazer algo.
    Moro em Lauro de Freitas, cuja prefeita temo mesmo tempo de mandato do prefeito de Salvador. Aqui a iluminação é péssima, o asfalto, quando há é cheio de calombos mais se parecendo com costela de vaca, quando chove a cidade literalmente alaga impossibilitando o deslocamento de qualquer cidadão, gastou-se uma fortuna para, depois de studos, mudar o sentido de trânsito da avenida Luiz Tarquínio e após um ano outra fortuna para voltar ao que era antes, cidade com mais de 150 mil moradores só tem um único CEP (vocês não imaginam o problema que isso nos causa – as correspondências só chegam atrasadas e as encomendas, normalmente voltam)., a cidade é infestada de muriçocas e mosquitos e com elevado índice de contaminação pela dengue, as ruas principais são engarrafadas, etc, etc, etc.
    Trabalho em Salvador e posso perceber que não é o melhor lugar do mundo, mas em comparação a Lauro de Freitas há iluminação melhor, pasmem: transporte público melhor (tentem andar de ônibus aqui e veja quanto tempo irá aguardar por um), as barracas de Buraquinho verdadeiras pocilgas. Por falar em barracas, até onde sei elas foramretiradas de Salvador por ordem da justiça federal, a prefeita de Lauro fez todo aquele alarde por pura firula, pois todas as barracas também serão demolidas até as de Vilas que são melhores.
    A prefeita gastou dinheiro para relocar os barraqueiros para um espaço de estrutura horrível. O espaço para as barracas do Rio Vermelho ficou muito bom. Por falar em praias não se vê barracas nas orlas do Rio de Janeiro e de nenhuma cidade litorânea do nordeste.
    A praia é da população, pública não pertence a barraqueiros que cobram abusivamente e ocupam a areia como se fossem donos. Adoro voltar para casa pela orla, pois agora posso ver o mar, tanto em Salvador quanto em Ipitanga. O MAR É LINDO, RELAXA, LIBERA O ESTRESSE.
    Salvador tem o canteiro central do Ímbui, da Centenário, o Dique, da Bonocô, o da Vasco da Gama que deve ficar legal,pelos passo por lá todos os dias e vejo que a pista vai ficar mais larga. Pensei que a obra fosse piorar o trânsito no local. estou estupefato, pois tá melhor que antes.
    Aqui em Lauro as praças são uma porcaria, a excessão da que fica em frente a Secretari de Transporte. A preifeita colocou uns equipamentos de ginasticas em alguns locais ], isso foi bom, mas equipamento de ferro na orla, convenhamos.
    Vejo em Salvador os esdpaços públicos ocupados por morador de rua, por melhor ou pior que seja quem se arrisca a desfrutar de um local desse. Era assim na praça de ondina, fiz uma corrida de farol a farol e o organizador teve que pedir apoio da policia no local para os participantes não serem roubados.
    Outra coisa a população, tanto de Lauro quanto de salvador não colaboram com a sua cidade. urinam em qualquer lugar jogam lixo na ruae por ai vai.
    Bem gente, todo movimento é valido desde que se respeite os limites da lei. Não gosto de passeatas por que prejuica o trânsito todos tem o direito de ir e vir. temos que respeitar os que aprovam a gestão do prefeito de Salvador como também como também o de Lauro. Afinal, ambos foram reeleitos. VALE LEMBRAR QUE FALTA POUCO. VAMOS AS URNAS!

    • Prezado Ricardo,

      Concordo com você que a nossa população muitas vezes não ajuda na manutenção dos equipamentos da cidade e na sua limpeza, e que a arrecadação de Salvador é um dificultador diante do tamanho da nossa população e dos nossos problemas.

      Entretanto, isso não justifica os desmandos que a administração da nossa cidade está sujeitando os seus cidadãos. Isso não justifica a não-existência do Conselho da Cidade depois de tantos anos do Conselho aprovado no PDDU (que deixou de ser deliberativo com essa LOUOS imunda); não justifica o atraso e os desvios de recursos do metrô nem outros tantos absurdos. Pelo contrário, se a arrecadação de Salvador é pequena, talvez deveríamos pensar justamente em dar ainda mais valor a esses recursos, e a população deveria estar ainda mais envolvida nisso. Pra mim, a discussão é essa: com pouco ou muito dinheiro, NÃO ME SINTO REPRESENTADO.

      E se a gente realmente dependesse somente da arrecadação do município, realmente estaríamos perdidos, mas temos as outras esferas de governo.

      Não nos esqueçamos que se a nossa atuação política não pode ficar restrita às urnas. O DESOCUPA tem a capacidade de interferir no programa de governo dos prefeituráveis e, futuramente fiscalizar o cumprimento desse programa. Não sejamos ingênuos: enquanto a maior parte da população tenta se encaixar aos programas dos políticos, pra ver em quem votar, as empreiteiras e outros financiadores de campanha ficam por trás da cortina interferindo nesse programa. Portanto, o DESOCUPA é o lugar de jogar limpo, e trazer de volta a pioridade nos interesses da população.

      Com relação às manifestações que atrapalham o trânsito, a rua não é só lugar de carro não! Mesmo se as nossas calçadas fossem mais bem cuidadas e largas, e por isso precisaríamos entrar menos na pista, o direito de manifestação ninguém nos tira!

      Abraços

  11. Li todos os comentários acima escritos e me achei também no direito de escrever como cidadão brasileiro e turista passando por Salvador, cidade muito linda, rica de cultura, povo hospitaleiro, mais também de pessoas muito mal educadas e porcas. Poderia voltar no passado bem distante para falar como tudo começou e ai todos nós iriamos perceber que desde longos tempos os problemas já existiam nas cidades brasileiras, não deixaram de exitir e talvez nunca deixem realmente. Vocês vivem na terceira capital do país em população e a vigéssima sexta em arrecadação, ou seja, muita gente e pouco dinheiro isso com certeza é um grande problema. Algumas cenas me deixaram entristecidos em Salvador: Os garis limpando e logo depois pessoas jogando lixos no chão a cinco metros de uma lata de lixo; lixeiras quebradas; pontos de ônibus vandalizados, pessoas jogando lixo pela rua pela janela dos ônibus; praças que pareciam serem novas depredadas e etc. Assim podem colocar o melhor prefeito do mundo e com certeza ele não conseguirá melhorar nada. Percebo também um cunho político nos comentários e ai percebo algum radicalismo e oportunismo de alguns oposicionistas que tentam manipular as pessoas, principalmente de jovens estudantes ainda em formação. Finalizando concordo com alguns pontos do movimento, acho que deve ocorrer, deve ser pacifico, respeitoso (não temos o direito de agredir ninguém, seja com palavras ou fisicamente) e o mais importante ele deve preservar a cidade e o seu patrimonio. Se vamos ocupar uma praça devemos ser os primeiros a mostrar como cuidar dela e não também destruí-la.
    Desejo boa sorte ao movimento, equilibrio e que realmente ele consiga ajudar a melhorar a cidade. Lembro só mais uma coisa o PT assumiu o país e nada mudou, tudo continua igual ou até mesmo bem pior.

  12. Acompanhei pela primeira vez o movimento e percebi muitos jovens alienados, tirados a revolucionários, vereadores de oposição (radicais e hipocritas) e meio sem foco. Aderi pensando que era um movimento pautado na legalidade, no respeito a lei e a ordem e vi que não é o que esperava. Ajudaram a sujar as ruas, atrapalhar o trânsito, desrespeitaram os policiais de serviço. Isso não é um movimento legal, tô fora não vou mais. Vocês precisam fazer um movimento pela cidade e não para alguns que querem aparecer. Sim, ainda tinha um ex secretário de Wagner demitido por incompetência organizando. Não vou mais.

    • Prezado João
      Tenho 52 anos, sou pedagoga, funcionária pública, estudiosa de movimentos sociais e me sinto extremamente orgulhosa e contemplada pelo Desocupa que tem dado uma excelentes aulas de organização democrática. Marchei nas passeatas contra a ditadura mlitar dos anos 80 e vejo essa ditadura renascer com os memsos mecnaismos.Não sei exatamente qual a sua expectativa e qual a sua experiência com Movimentos e o que vc esperava de uma marcha ond enão se tem controle sobre os participantes e sobre os seus atos. Caracterizar os movimentos contemporâneos como atos de jovens revolucionários imaturos tem sido um argumento constante das grandes mídias buscando dessa forma fragilizar a sociedade e sectarizar os
      moviementos. É importante saber, entre outras coisas, que o Desocupa posssui articulação com redes e movimentos sociais de bairros da periferia que se lutavam isolados e agora se sentem fortalecidos por esse movimento e que não apenas os jovens desobedeceram os policias que tentavam fazer a repressão, mas vários pessoas adultas e idosas que integravam a passeata,
      pois é de fato um movimento revolucionário, fsensível a questões que afetam às várias classes sociais. Lhe parabenizo pela sua franqueza e acredito que é dessa forma que o movimento vai se fortalecer: com a permanencia apenas do que de fatos se identicam com a sua ideologia e têm coragem de furar o cerco da repressão.

      idsosas

  13. Joao, se “alienados” são os jovens que não estão sabendo exatamente o que se passa com a cidade, com o camarote, e com tudo mais que diz respeito ao movimento, ali mesmo na passeata é um bom lugar pra estar: ouvir, conversar, dizer o que pensa, trocar ideias e ficar sabendo de mais coisas. Não acho que devemos esperar que o movimento seja composto apenas de “politizados” – seja lá o que isso quer dizer. Nem apenas de iguais. Sobre a legalidade, de algum modo, diversos absurdos contra as pessoas que acontecem hoje em dia são, de alguma forma legais – acho que tem mais a ver com ética do que com legalidade a luta do pessoal – mas por outro lado não é o objetivo o desrespeito de outras pessoas: você também deve ter notado que, no geral, tudo foi e é muito pacífico. Sobre ser “tirado a revolucionário” acho também inevitável que isso surja – tantas vezes acabamos nos sentindo tão passivos e impotentes que a ação em conjunto e seus resultados trazem para nós uma sensação tão singular, de vida… muito forte. Nisso posso falar apenas por mim – acho que realizar uma coisa como essa convoca coisas muito vivas e intensas, às vezes nos dá até uma postura impertinente – que acabamos precisando ter diantes de forças e poderes tão maiores, forças que precisamos mesmo somar e convocar em cada um para conseguirmos continuar.

  14. olá joao. como alguém que tem participado das discussões do DESOCUPA, acho uma pena que seja essa a sua percepção. talvez nela estejam engendrados os seus conceitos previamente concebidos acerca do que seriam jovens alienados e tirados a revolucionários. sem duvida, na passeata do dia 01 havia um sem numero de jovens que estavam pela primeira vez participando de algo nesse formato. e é de se esperar tb, que em meio a quase duas mil pessoas exista a diversidade, concorda? acredito que se você olhar por outro ângulo certamente encontrará pessoas que estão unidas num movimento genuíno e a favor de nossa cidade (sendo o grande ponto de partida as arbitrariedades da lous), compartilhando das mesmas preocupações que você, eu imagino. quanto a sujar as ruas, penso que essa é uma questão que deve ser vista deslocada do movimento em si; o fato é que a população soteropolitana suja as ruas sim, com ou sem passeata! essa é uma responsabilidade de todos! em relaçao ao desrespeito aos policiais, como vc relatou, tenho algumas considerações: primeiro, joao, que a tensão entre manifestantes, seja lá qual for a causa, e policiais, é inevitavel; os policiais estão ali na linha de frente obrigatoriamente, representando o ‘outro lado da força’. além disso, nao vejo como haver uma passeata com dezenas de centenas de pessoas, muitas delas visceralmente mobilizadas, e o clima de harmonia imperar ( o que tb nao implica em desordem!). quanto a querer aparecer, o que eu posso dizer é que sempre irei questionar a ‘ponga’ no DESOCUPA para esse tipo de interesse; inclusive, um parentesis – penso que os artistas, antes de aderirem ao movimento se dizendo parte dele, devem revisar os seus conceitos de coerência! o que não dá é dizer que está dentro para se inserir num contexto, fazer a linha ‘eu faço politica’ e depois compactuar com os modelos malignos que ai estão e contra os quais estamos lutando (no mínimo, questionando)-. portanto, não se preocupe, pois quem veio só para aparecer logo irá embora. e eu acredito (com conhecimento de causa) que passada a onda de maior empolgação, pela recente união de pessoas diversas em torno de um interesse comum, muitos não permanecerão, pois persistir é algo difícil; ainda mais quando as forças que encontraremos (e já encontramos) no caminho se impuserem sem dó. mas eu acredito fortemente que muitas pessoas irão se manter firmes também, sempre agregando novas forças! por isso tudo te convido a não começar desistindo! insista, reveja, reavalie seus posicionamentos, questione, colabore!
    abraços, bia.

  15. João Henrique mergulha Salvador no caos – manchete já cansativa aos nossos ouvidos: abaixo pequena lista de motivos ; é bom ter lenços na mão para não chorar de raiva !
    A situação de caos instalada em nossa capital e o alcaide curtindo a vida adoidado : nos shows , na praia ( não as daqui , que ele destruiu – estava em Copacabana ) e dançando o trenzinho no Festival de Verão ;
    E o líder Carbalhal, de toda pressão para que vereadores votassem ” no escuro ” as emendas que só favorecem grupos de construtoras , também curtindo em Las Vegas.
    Será coincidência que os 2 cabeças da famigerada votação da Louos , fossem desfrutar de benesses, após a grande ” entrega ” da cidade para 3 ou 4 megaempresários ; será que também lucraram junto ?
    O prefeito de Salvador, João Henrique, não consegue botar o metrô nos trilhos. Já fez tudo quanto é tipo de teste – com os trens carregados com saco de areia, pedras, ferro e tudo mais. E nada.
    Mas o nosso grande prefeito João, conhecido também no meio futebolístico como “João Brocador”, se soltou no Festival de Verão.
    Em vez de metrô, foi de trenzinho.
    Chamou a atenção da plateia. Estava com amigos e a namorada Tatiana Paraíso, subsecretária de Saúde de Salvador.
    João era só alegria no trenzinho, dançando ao som da música “Safado, cachorro, sem vergonha”, de Cláudia Leite”. O vídeo foi parar no Youtube,
    João Henrique troca carinhos e exibe aliança em show de Claudia Leitte
    Festival de Verão: João Henrique passa em camarote da TV Bahia para abraçar ACM Neto
    O prefeito João Henrique foi um dos convidados da cantora Claudia Leitte para a gravação do seu novo DVD, na noite de terça-feira (13). Junto da companheira, a subsecretária de Saúde e também cardiologista pessoal dele, Tatiana Paraíso, o prefeito assistiu ao show e cumprimentou a cantora em um coquetel ao lado da sala principal do Teatro Castro Alves.
    o prefeito João Henrique (PP) foi visto, no final da tarde de ontem (02/02), caminhando pela orla da praia de Copacabana. De acordo com a artista baiana Mariella Santiago, que mora atualmente no Rio de Janeiro, o gestor andava tranquilamente pelo local, trajando roupa de esporte;
    Em meio a votações da Louos , Carballal recebeu brinde da OAS
    Enquanto o debate seguia acalorado na última sessão do ano na Câmara Municipal, nesta quinta-feira (29/12), um encontro causou um breve mal-estar, atribuído como mal entendido pelo vereador Henrique Carballal (PT), um dos principais articuladores do conchavo entre governistas e oposição na Casa neste final de ano. A publicação da coluna Tempo Presente desta sexta-feira (30), no jornal A Tarde, narrou a chegada de um emissário no salão de acesso ao plenário da Câmara que entregou uma sacola enviada por “uma das grandes construtoras da cidade” ao edil petista.
    O vereador Henrique Carballal (PT) voltou a dar as caras no cenário soteropolitano nesta quarta-feira (1º/02), após tirar umas duas semanas de férias nos Estados Unidos. disse que se casou em Vegas justamente pela facilidade. Disse que lá gastaria menos que aqui. Até que a lenda abona o discurso dele. Para fazer um casamento em Las Vegas só precisam de duas coisas: o noivo e a noiva. Documentação é bobagem. Falando em noiva, a dona da casa é Anuncia Suarez, que tem um sobrenome bem conhecido na “High Society” baiana.
    é duro ser soteropolitano !

  16. É impressionante como o alcance da visão de uns, não ultrapassa a distância dos olhos ao nariz e a profundidade de raciocínio, de tão raso, não supera a de um simples pires!!! Por isso eu concordo com as colocações de Marta e Daniel.

    Faço deles as minhas palavras e faço do Movimento Descupa o meu representante diante desse absurdo que há muito tempo fazem com o Carnaval baiano.

    O cerne da questão não é que o Camarote fez uma linda praça, gastado uma esmola diante do valor astronômico que eles lucram, pois isso são detalhes da contrapartida exigida no contrato – mal feito e cheio de irregularidades, que na minha opinião não é nem culpa da Premium, pois eles jogaram a isca e a Prefeitura caiu e se lambuzou.

    Desde ontem estou tentando fazer minha parte e tenho relatado essa situação a conhecidos meus que considero importantes formadores de opinião no país.

    Acho que cada membro poderia fazer o mesmo: botar a boca no trambone pra todo Brasil saber que “a maior festa tsc popular do planeta” a cada dia deixa de ser popular, ironicamente falando.

  17. Agora que saiu a decisao da Justica Federal para o Desocupa a Praça de Ondina , falta Desocuparmos os agentes publicos que concederam licenças ( Nery da SMA ) e alvaras ( Claudo Silva, da Sucom ) ilegais que permitiram toda esta mazela para os cidadaos de bem desta capital ; lembram do rei Davi : so depois de cortar a cabeça de Golias a vitoria foi completa ; Abraços.

  18. cadÊ o rogerio? um abraço para daniel e icaro estao todos de parabens e dra ordep com seus excelentes projetos foi o melhor movimento que ja vi durante os ultimos 15 anos pois a cidade esta uma bagunça pois o churrasco deve ser frito com molho de joao valeu um abraço

  19. É de extrema importância o movimento DESOCUPA, mas não podemos esquecer que daqui a alguns anos JH tentaram se eleger e seus lacaios também. Logo vamos sempre nos lembrar de tudo e tentar cobrar aos vereadores, senadores e a quem for de obrigação os direitos e deveres, pois, votamos em todos eles. Não vamos deixar o ano terminar e esquecer de toda essa batalha. Estão começando a cutucar os maiores, porque o crescente acesso do movimento DESOCUPA se faz presente em canais de comunicação diversos. Temos que começar a procurar meios legais e jurídicos para abordar, cobrar e solicitar as varias promessas não feitas. Nós (o povo), somos patrões de todos eles e então temos por merecer respeito ao nosso voto. Tenho acompanhado o movimento com noticias, links e afins e vejo que nossa população esta mudando e crescendo rapidamente para luta por melhorias. Vamos nos pautar em números absolutos e dados concretos do que foi feito e não foi feito pelos governantes.

    Legalmente, Juridicamente o que podemos fazer?
    Como nos cobrir contra os prefeitos, vereadores corruptos?
    Buscar formas de elencar para a mídia televisiva o que estamos fazendo e onde queremos chegar.
    Abrir os olhos de toda a população. Como fazer isso?
    Nas próximas eleições não haver votos, como fazer isso? Branco. Será que daria certo, uma enorme votação sem votos como demonstração de luta, existência, olhos abertos de um povo cansado de ser enganado?
    É uma serie de ações a serem tomadas, mas todas devem ser bem planejadas e implantadas no enorme grupo da população de Salvador.
    O dinheiro de alguma forma tem que ser investido na população e monitorado para onde esta indo.

  20. Temos que retornar com movimento Desocupa Salvador agora e proibir sua instalação em 2014. Agora eles tem telhado de vidro pois o Camarote é da familia do prefeito e ele não vai querer comprar essa briga contra opinião pública.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s